Efe
Efe

Karadzic vai a tribunal pela 1ª vez e processo é adiado

Ex-líder não foi à corte nas duas primeiras audiências e é acusado de crimes de guerra na antiga Iugoslávia

Agência Estado e Associated Press,

03 Novembro 2009 | 12h06

O ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic compareceu perante o Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia (TPII) nesta terça-feira, 3, pela primeira vez desde o início de seu julgamento, na semana passada. Os juízes também adiaram o processo do ex-líder servo-bósnio até que decidam, ainda esta semana, como deve ser continuado. 

 

Ao final da audiência extraordinária na qual a defesa e a promotoria expuseram seus pontos de vista sobre a questão o juiz sul-coreano O-Gon Kwon decretou o adiamento. O juiz cancelou a audiência prevista para a quarta-feira, 4, na qual se esperava que os promotores começassem a chamar as testemunhas, à espera de sua decisão, por isso ainda não foram planejadas novas sessões para o julgamento.

 

Karadzic boicotou os três primeiros dias de julgamento em Haia. Ele responde a 11 acusações relacionadas a atrocidades cometidas contra muçulmanos durante a Guerra da Bósnia (1992-1995). O réu alega não ter tido tempo suficiente para preparar sua defesa, apesar de estar detido há mais de um ano.

 

Karadzic optou por encarregar-se da própria defesa, mas os juízes do TPII advertiram que poderiam impor um advogado para defendê-lo se o boicote fosse mantido. O réu insistiu que precisa de mais tempo para preparar sua defesa, enquanto a promotoria acha que a melhor opção é impor um advogado.

 

O acusado afirmou que a concessão de mais tempo para se preparar é "a solução mais fácil" que os juízes podem tomar. "Não há um só advogado que possa estar preparado", argumentou Karadzic, reiterando que "ninguém pode ver os materiais (da promotoria) melhor do que eu". "Não preciso de novos advogados, mas de mais tempo", disse o ex-líder servo-bósnio. 

 

O processo do ex-líder servo-bósnio começou em 26 de outubro e, até agora, somente foram realizadas três audiências. Durante a primeira, os juízes adiaram para a segundo dia o discurso dos promotores, que contaram com dois dias (na terça-feira passada e esta segunda) para expor as alegações de abertura do caso.

 

Por enquanto estão previstas duas sessões por semana no julgamento a Karadzic, para que, entre outras coisas, os outros processos em andamento possam seguir seu curso. Karadzic é acusado de 11 acusações de crimes de guerra e contra a humanidade supostamente ocorridos durante a guerra da Bósnia.

Mais conteúdo sobre:
Karadzic Haia Justiça Tribunal

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.