Kate McCann se queixa de Madeleine em diário, diz jornal

Jornal português afirma que mãe teria deixado em branco página do dia em que a filha desapareceu em Portugal

Ansa,

13 de setembro de 2007 | 14h34

A imprensa britânica afirmou nesta quinta-feira, 13, que a mãe de Madeleine, Kate McCann, se queixava constantemente do comportamento dos três filhos, especialmente a menina mais velha, qualificada como uma criança "muito ativa" por ela. O jornal português Correio da Manhã diz ainda que no dia 3 de maio, quando a menina desapareceu, não há nenhuma anotação escrita.   Veja também: Casal McCann quer realizar próprio teste de DNA em carro Cancelada estréia de filme que lembra o 'caso Madeleine' Falhas no caso Madeleine  Polícia quer escavar em igreja da cidade onde sumiu Madeleine Segundo informou em Londres a emissora Sky News, em seu diário pessoal, a médica inglesa Kate, de 39 anos, conta que perde todas as suas energias cuidando de seus três filhos e que Madeleine é a mais problemática. Vários jornais portugueses afirmam que a polícia Judiciária viu o diário de Kate aberto no apartamento do complexo turístico de Ocean Club que a alugou em Praia da Luz. A Sky News duvidou da veracidade das informações da imprensa portuguesa, e considerou suspeito que não incluam fontes da polícia ou da investigação judicial. Enquanto isso, o juiz de instrução criminal encarregado do caso autorizou a polícia britânica a apreender o diário pessoal de Kate e o laptop de seu marido, o cardiologista Gerry, além de papéis e documentos do casal. Com o material, os especialistas do caso buscarão ainda demonstrar "o estado mental" da mãe de Madeleine nos dias posteriores ao desaparecimento da garota. Cuddle Cat Os meios de comunicação de Portugal afirmaram também que os cães farejadores britânicos teriam detectado odor de cadáver decomposto no trajeto entre apartamento dos McCann e a igreja da cidade, onde o casal rezava durante a estada no país. De acordo com o tablóide inglês The Sun, os detetives acreditam que o corpo da menor foi escondido fora da igreja de Praia da Luz, de onde pode ter sido levado posteriormente em um veículo que o casal McCann alugou três semanas após o desaparecimento da criança. A teoria está inclusa no dossiê que a polícia portuguesa entregou na última terça à Procuradoria Geral, que por sua vez delegou o caso a um juiz de instrução criminal. Esse odor, segundo a imprensa portuguesa, também teria sido detectado em várias roupas de Kate, como também em um brinquedo de Madeleine que a médica leva consigo como um amuleto, o Cuddle Cat. A Sky informou que os detetives já estariam em posse destes objetos. A irmã de Kate, Philomena McCann, declarou que a possibilidade de a polícia britânica apreender o brinquedo de Maddie "é uma desgraça". O porta-voz oficial dos McCann, David Hughes, negou-se a confirmar as notícias da imprensa britânica, mas disse que o Cuddle Cat foi submetido a análises forenses. Inquérito Esta semana, os detetives entregaram um documento de 4 mil folhas com evidências ao fiscal geral da região de Algarve, José Cunha de Magalhães e Meneses, o qual por sua vez passou as primeiras 10 páginas ao juiz de instrução. Enquanto isso, os McCann confirmaram que não utilizarão os fundos econômicos do grupo Find Madeleine para pagar por seus custos legais de defesa.   Gerry e Kate McCann arrecadaram um milhão de libras desde o lançamento do fundo, em maio, após o desaparecimento da filha de quatro anos do casal durante férias da família em Portugal. O laptop que a polícia quer analisar havia sido utilizado por Gerry McCann para escrever seu blog diário no site http://www.findmadeleine.com/, como também para enviar e-mails.   O casal poderá ser acusado formalmente pelo desaparecimento de sua filha, após terem sido declarados na semana passada "suspeitos oficiais", do caso.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleine McCannPortugalReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.