Kosovo levará ao aumento do separatismo na Europa

A afirmação foi feita pelo assessor do presidente russo, Vladimir Putin

EFE

23 de fevereiro de 2008 | 06h37

A proclamação unilateral da independência do Kosovo levará inevitavelmente ao aumento do separatismo e do terrorismo na Europa, advertiu Anatoli Safonov, assessor do presidente russo, Vladimir Putin, em entrevista à agência "Interfax". "Muitos países consideram que o separatismo e o terrorismo são elos da mesma cadeia. É evidente que se fortalecerão as tendências terroristas, pois a violação do direito internacional não pode levar a outra coisa", disse Safonov, especialista em cooperação internacional para a luta contra o terrorismo. "Na situação do Kosovo, há o perigo do início de uma poderosa maquinaria de destruição com conseqüências difíceis de ponderar", disse Safonov, lamentando que o Ocidente "tenha esquecido as lições do passado". Na véspera, em discurso perante os líderes da Comunidade dos Estados Independentes (CEI), Putin assegurou que "Kosovo é um terrível precedente que, de fato, rompe com todo o sistema de relações internacionais formado não só durante décadas, mas durante séculos". O Kremlin qualificou de "ilegítima" a proclamação unilateral da independência kosovar, e assegura que não reconhecerá a secessão desse território sem o beneplácito da Sérvia. Além disso, pediu à ONU e à Otan que "anulem" a decisão das autoridades do Kosovo, e advogou pelo reatamento das negociações entre Belgrado e Pristina.

Mais conteúdo sobre:
Kosovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.