Kosovo pede fim de missão da ONU em seu território

Unmik administra terras balcânicas em nome da comunidade internacional; 'presença não é necessária'

Efe,

23 de março de 2009 | 16h27

O governo do Kosovo pediu nesta segunda-feira, 23, ao Conselho de Segurança da ONU que encerre a missão Unmik, que desde 1999 tem a responsabilidade de administrar o território balcânico em nome da comunidade internacional. O ministro de Exteriores do Kosovo, Skender Hyseni, disse nesta segunda em reunião do principal órgão da ONU que a presença da Unmik já não era necessária, após o primeiro aniversário da declaração unilateral de independência da província sérvia.

 

Veja também:

linkKosovo celebra aniversário de independência unilateral

 

"Pedimos que se ponha um fim ao desdobramento e ao mandato da Unmik", solicitou Hyseni, após lembrar que 52 países reconheceram até agora a independência do Kosovo, proclamada em 17 de fevereiro de 2008. O ministro kosovar assinalou na saída da reunião que após o recente desdobramento da missão civil da União Europeia (UE), Eulex, a da ONU devia encerrar "o mais rápido possível" seus trabalhos.

 

Hyseni assinalou que seu governo alcançou "progressos imensos e tangíveis" no estabelecimento das estruturas e instituições do novo Estado kosovar, e que conta com o apoio da missão europeia para prosseguir com essa tarefa.

 

Nesta segunda, a ministra de Defesa espanhola, Carme Chacón, confirmou que as tropas do país deixarão o Kosovo de forma "escalonada e coordenada" com os demais países aliados, em uma retirada que deverá estar concluída em setembro, após dez anos d missão na Força de Estabilização (KFOR), dirigida pela Otan.

Tudo o que sabemos sobre:
Kosovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.