Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Kosovo tem explosões e tensão após independência

Granadas são lançadas contra prédios da UE e da ONU; em Belgrado, manifestantes apedrejam embaixada

Reuters,

17 de fevereiro de 2008 | 14h57

Granadas foram lançadas nos prédios da União Européia e da ONU neste domingo, 17, na cidade kosovar de Mitrovica, depois que o Kosovo declarou sua independência com o apoio europeu. Em Belgrado, manifestantes apedrejaram a Embaixada dos Estados Unidos e deixaram mais de vinte pessoas, a maioria policiais, feridas.     Veja também: Kosovo declara independência da Sérvia 'Sérvia nunca reconhecerá o Kosovo', diz presidente Rússia quer que ONU anule independência de Kosovo Conselho de Segurança se reúne para discutir Kosovo Kosovo: independência aumenta abismo entre Rússia e Ocidente Entenda o que está em jogo com a independência do Kosovo Mapa: a disputa dos Bálcãs    Uma granada explodiu no posto das Nações Unidas sem causar danos significativos, segundo fontes. Os oficiais da UR esvaziaram o prédio, que abriga a equipe que prepara uma missão para supervisionar o processo de independência de Kosovo.   "Os oficiais abandonaram o prédio. Os seguranças afirmaram que duas granadas foram atiradas. Uma delas explodiu", afirmou uma fonte. Segundo fontes policiais, um veículo da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa foi danificado com a explosão.   Na localidade de Mitrovica, uma hora após a província do Kosovo declarar sua independência neste domingo, quatro granadas foram lançadas- sendo que somente uma estourou- , sem deixar vítimas."Lançaram as granadas contra a Oficina Civil da União Européia, na parte norte de Mitrovica, onde moram cerca de 20 mil sérvios, disse o comandante Etienne du Fayet, da Otan em Kosovo.   Tropas francesas da força de paz lideradas pela Otan prepararam barreiras de concreto e arame para fechar as pontes dividendo albaneses e sérvios em Mitrovica em caso de confronto.   Belgrado   Em Belgrado, cerca de 2 mil manifestantes sérvios, em sua maioria jovens, gritavam "Kosovo é o coração da Sérvia" enquanto apedrejaram a Embaixada dos EUA na cidade, protestando contra a independência da província, apoiada por Washington. Mais de 500 policiais protegiam o local.   Os manifestantes lançaram pedras e tochas contra o edifício da embaixada, situada em uma das avenidas centrais da capital, e destruíram vários carros estacionados na região.   Os policiais que protegiam o prédio foram alvo de insultos dos manifestantes, e ocorreu um pequeno confronto, no qual um agente foi ferido.   Os ativistas seguiram destruindo sinais de trânsito, veículos e contêineres de lixo na região, enquanto os policiais, após receber reforços, tentavam empurrar a multidão para longe da embaixada.   Os jovens agrediram uma equipe da emissora de televisão pública sérvia RTS, quebraram a câmera e espancaram um dos repórteres.   Segundo fontes médicas do centro de emergência em Belgrado, doze pessoas foram atendidas até agora, sete delas policiais, todos com ferimentos leves.   A polícia conseguiu dispersar os manifestantes, que se separaram em pequenos grupos, um dos quais se dirigiu para o edifício da Embaixada da Eslovênia, país que preside a União Européia (UE) neste semestre.   Os manifestantes quebraram vidros e rasgaram as bandeiras da Eslovênia e da UE. A Polícia teve que intervir para dispersar os ativistas.   Os jovens tinham anunciado um protesto pacífico em frente à embaixada e passaram pela rua sem parar diante do edifício, mas depois retornaram e bloquearam a passagem dos veículos pela avenida.   Os ativistas levavam bandeiras sérvias e cartazes nos quais condenavam a independência do Kosovo. Também gritaram palavras em apoio ao suposto criminoso de guerra foragido Ratko Mladic, antigo líder militar servo-bósnio.   O líder da manifestação, Simo Spasic, presidente de uma associação de sérvios desaparecidos no Kosovo, assegurou que o protesto foi "espontâneo" e que o objetivo era expressar o descontentamento com os EUA, porque "deram um Estado aos albaneses".   Texto atualizado às 19 horas

Tudo o que sabemos sobre:
Kosovo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.