Kremlin impõe condições aos EUA para apoiar sanções contra Irã

A Rússia espera que os Estados Unidos suspendam proibições comerciais contra quatro empresas russas caso Moscou apoie novas sanções contra o Irã, disse uma autoridade do Kremlin nesta sexta-feira.

REUTERS

07 Maio 2010 | 16h44

A autoridade disse que a Rússia quer "a remoção imediata" das sanções dos EUA contra a exportadora de armas estatal russa Rosoboronexport e outras três empresas que indicou que estavam sob restrições norte-americanas com o objetivo de evitar a proliferação de armas.

"Nós vamos exigir isso, já que eles estão contando com o nosso posicionamento no estabelecimento de medidas contra o Irã junto à comunidade internacional", disse a autoridade a jornalistas, falando sob a condição de anonimato.

Os EUA e aliados ocidentais buscam o apoio da Rússia, que é membro permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e tem poder de veto, para uma quarta rodada de sanções contra o Irã por causa de seu programa nuclear.

A Rússia tem indicado que poderá apoiar as sanções, mas salientou que elas não devem prejudicar o povo iraniano.

A Rússia vem há muito tempo criticando as sanções contra a Rosoboronexport e outras firmas acusadas de vender tecnologia capaz de ajudar o Irã, a Síria ou a Coreia do Norte a desenvolver armas de destruição em massa ou sistemas de mísseis.

A Rússia alega que nenhuma venda de armas feita pelo país viola a lei internacional ou as regras de não proliferação.

A autoridade do Kremlin citou pelo nome a Rosoboronexport e o Instituto de Aviação de Moscou e disse que outras duas empresas russas não nomeadas por ele também estavam sob sanção dos EUA.

Documentos publicados no site do Departamento de Estado norte-americano indicam que as sanções impostas em 2008 contra a Rosoboronexport dentro do Ato de Não Proliferação para Irã, Coreia do Norte e Síria permanecem em vigor.

Mais conteúdo sobre:
RUSSIA IRA EUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.