Líbano condena dois por tentativa de atentado na Alemanha

Libaneses são acusados de colocar bombas em trens em 2006; falha no artefato impediu desastre

Efe,

18 de dezembro de 2007 | 11h58

Um Tribunal de Beirute condenou nesta terça-feira, 18, dois libaneses pelos atentados fracassados contra dois trens na Alemanha realizados em julho de 2006. Outros três acusados foram absolvidos.   Os condenados colocaram várias bombas em dois trens alemães, que foram encontradas em 21 de julho de 2006 em Koblenz (sudoeste) e Dortmund (oeste). Os artefatos deveriam ter explodido ao mesmo tempo, mas uma falha técnica impediu a detonação.   Jihad Hamad foi condenado a doze anos de reclusão por tentativa de homicídio. Já Youssef al-Hajj Dib - que começou a ser julgado nesta terça também pela Audiência Territorial de Düsseldorf (oeste da Alemanha) - foi sentenciado à pena de morte, que acabou sendo comutada em prisão perpétua, segundo a imprensa local. O Tribunal de Beirute absolveu outros três acusados, Ayman Hawwa, Khaled al-Hajj Dib e Khalil Boubou.   Um sexto acusado, Saddam al-Hajj Dib, morreu no Líbano no campo de refugiados palestinos de Nahr al-Bared durante os confrontos entre o Exército libanês e os combatentes islamitas sunitas do Fatah al-Islam, acrescentaram as fontes.   Em sua defesa, Hamad e Hajj tinham afirmado que colocaram as bombas em protesto contra a publicação, por parte da imprensa européia, das charges do profeta Maomé, mas que a intenção não era a de provocar mortes.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaLíbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.