Líder birmanesa faz discurso histórico no Parlamento britânico

A líder oposicionista birmanesa Aung San Suu Kyi se tornou nesta quinta-feira a segunda mulher na história a falar conjuntamente às duas Câmaras do Parlamento britânico. A outra foi a rainha Elizabeth 2a.

MOHAMMED ABBAS E MATT FALLOON, REUTERS

21 de junho de 2012 | 17h48

A figura diminuta da Nobel da Paz de 67 anos contrastava com a amplidão do Westminster Hall, onde ela foi aplaudida de pé ao chegar e apresentada como "a consciência de um país e uma heroína para a humanidade".

"Temos a oportunidade de restabelecer a verdadeira democracia na Birmânia. É uma oportunidade pela qual esperamos durante décadas", disse ela no pronunciamento. "Se não acertarmos as coisas desta vez, talvez leve várias décadas até que uma oportunidade semelhante surja outra vez."

Suu Kyi se refere a Mianmar como Birmânia, nome alterado pela junta militar que deixou o poder no ano passado, dando lugar ao governo reformista do ex-general Thein Sein. Num importante marco para as reformas, Suu Kyi deixou a prisão domiciliar e assumiu uma cadeira no Parlamento.

"Eu pediria que a Grã-Bretanha, como uma das mais antigas democracias parlamentares, considere o que pode fazer para ajudar a construir instituições sãs necessárias para construir uma democracia parlamentar nascente", disse ela, usando como de praxe flores no cabelo e um xale branco.

Mais conteúdo sobre:
GRABRETANHASUUKYIPARLAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.