Luca Bruno/AP
Luca Bruno/AP

Líder de centro-direita pede que Berlusconi dispute eleição de 2013

'Muitas pessoas estão pedindo que ele concorra e eu estou entre elas', disse Angelino Alfano

Reuters

11 de julho de 2012 | 11h29

ROMA - O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi deveria concorrer nas eleições do ano que vem, disse nesta quarta-feira, 11, o secretário-geral de seu partido, o Povo da Liberdade (PDL), em mais um sinal de que o ex-líder envolvido em escândalos pode voltar à vida política.

Veja também:

linkMonti descarta disputar as próximas eleições na Itália

linkPromotor elogia ação de Berlusconi contra máfia

linkCurta nossa página no facebook

"Há um grande movimento em apoio a Berlusconi. Muitas pessoas estão pedindo que ele concorra, e eu estou entre elas", disse Angelino Alfano, secretário-geral do partido de centro-direita, a jornalistas. "Para alguém que governou durante anos tão complicados e que abriu caminho para um governo tecnocrata sem nunca ter sido derrotado no Parlamento ou perder uma eleição, acho que é certo e legítimo ele buscar o julgamento do povo italiano."

Berlusconi deixou o governo sob uma avalanche de denúncias de escândalos, após uma piora grave na crise financeira que ameaçou levar os custos de empréstimos do governo da Itália a níveis fora de controle.

O magnata da mídia, de 75 anos, ainda enfrenta acusações de ter contratado uma prostituta menor de idade, mas fez vários comentários indicando que estaria interessado em voltar, apesar de não ter feito nenhuma declaração clara a respeito.

Berlusconi tem feito críticas ao euro, numa tentativa de ganhar popularidade, depois que o PDL sofreu uma dura derrota nas eleições locais de maio.

Ele disse em 20 de junho que a Itália deveria considerar deixar o euro a menos que a Alemanha concorde em permitir que o Banco Central Europeu atue como garantidor de uma dívida soberana e imprima dinheiro para reflacionar a economia.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIABERLUSCONI2013*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.