Líder do Partido Liberal ganha 1º debate televisionado no Reino Unido

Nick Clegg passou imagem de inovação em relação ao Partido Trabalhista e à coligação conservadora

15 de abril de 2010 | 19h16

 Nick Nick Clegg, David Cameron e Gordon Brown participam de debate. Foto: Ken Mckay/Efe   Efe

 

MANCHESTER- O líder do Partido Liberal Democrata, Nick Clegg, ganhou nesta quinta-feira, 15, o primeiro debate eleitoral televisionada da história do Reino Unido, frente aos pesos pesados da política britânica, o líder trabalhista e primeiro-ministro, Gordon Brown, e o líder conservador, David Cameron.

 

Assim afirmou uma pesquisa divulgada pelo canal ITV, transmissor do debate, ao término do programa, na qual 43% considerou Clegg ganhador, frente a 26% que deu a preferência a Cameron e 20% que elegeu o premiê.

 

Os dados fornecidos pelo tabloide The Sun foram mais contundentes. Segundo o diário, o liberal democrata ficou com 51% da preferência do público, seguido de Cameron, com 29%, e Brown, com cerca de 19%.

 

Clegg passou uma imagem de renovação e de político que representa uma opção diferente ao dos dois partidos que governam o Reino Unido ininterruptamente desde a II Guerra Mundial, mas terá de esperar os efeitos desta vitória quando os britânicos forem às urnas, em 6 de maio.

 

No debate de hoje, focado em política nacional, os liberais democratas conseguiram um de seus principais objetivos: que seu líder seja melhor conhecido pelos eleitores e que o partido consiga uma maior porcentagem de votos.

 

Alguns analistas destacaram que a vitória de Clegg é inútil, porque os liberais não têm possibilidade de ser uma opção de governo, dado que o sistema eleitoral britânico favorece os partidos grandes. Ainda assim, o partido reforçou sua posição, já que ainda não há um candidato preferido por uma grande maioria para o pleito de 6 de maio.

 

À margem da vitória de Clegg, que contava com a vantagem prévia de representar o partido menos contaminado pelo poder, o debate não respondeu às expectativas e deixou a sensação de que tudo segue igual, a três semanas da convocatória das urnas.

 

Durante 90 minutos, os três candidatos repetiram os argumentos já conhecidos de seus programas eleitorais.

 

Seja pela falta de tradição - os três partidos trouxeram assessores de imagem dos Estados Unidos para a ocasião - ou pelo esquema do programa, com perguntas realizadas por cidadãos presentes no estúdio, a discussão verbal foi monótona e carente de réplicas.

 

Os três líderes estavam muito próximos, mas evitaram a todo momento se interpelarem fisicamente e quase nem se olharam enquanto falavam, preferindo se dirigir ao público.

 

A única condição prévia ao debate foi imposta por Brown. O premiê pediu para ficar na parte esquerda do estrado, porque só enxerga com o olho direito, devido a um acidente que sofreu enquanto praticava esportes na Escócia.

 

Após o fim do debate, a ITV organizou um painel para saber a opinião dos espectadores, que refletiu que o único tema em que Clegg não ganhou foi o da imigração.

 

Faltam três semanas para que as urnas deem seu veredicto definitivo, mas o debate de hoje deixou claro que Brown, Cameron e Clegg sabem muito bem o eixo de sua campanhas, maneira com a qual acreditam que irão convencer os britânicos.

 

Brown apostou na economia e reivindicou seu papel como "salvador" da crise, pedindo que os erros das depressões das décadas de 30 e 80 não se repitam, e que se mantenham os programas de estímulo para evitar uma segunda recaída.

 

Cameron deixou uma mensagem de valores - "estarei com quem quiser trabalhar duro e com quem quiser ter uma família" - e também de mudança, pedindo aos britânicos que "elejam a esperança e não o medo".

 

Clegg, por sua vez, afirmou que "há uma alternativa aos de sempre", e que é preciso "dar uma oportunidade real à mudança". O resultado será visto em 21 dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.