Líder do Sudão não participará de cúpula islâmica na Turquia

O presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, não comparecerá a uma cúpula islâmica em Istambul como planejado, disseram autoridades turcas neste domingo depois que a União Europeia (UE) manifestou objeções à sua visita.

REUTERS

08 Novembro 2009 | 16h46

Bashir, contra quem o Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu uma ordem de prisão por crimes contra a humanidade na região de Darfur, no Sudão, havia anunciado a intenção de participar da reunião da Organização da Conferência Islâmica (OIC, na sigla em inglês) na segunda-feira.

"Fomos informados de que ele não virá," disse um funcionário do governo turco à Reuters sob condição de anonimato, sem dar mais explicações.

A Turquia, país predominantemente muçulmano que busca ingressar na UE, sofreu pressão de Bruxelas e de grupos internacionais de direitos humanos para excluir Bashir da lista de convidados. O país tem fortes laços com o Sudão, não ratificou o estatuto que estabelece o TPI e disse que não o prenderia.

A organização Human Rights Watch havia dito que a imagem da Turquia, que é membro da Organização do Tratado do Atlântico norte (Otan), iria "desmoronar" se Ancara não impedisse a entrada de Bashir.

Bashir tem viajado a países africanos desde a emissão da ordem de prisão do TPI, em março.

O polêmico presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, e o recém-reeleito presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, já estão na Turquia para a cúpula.

(Reportagem de Zerin Elci)

Mais conteúdo sobre:
TURQUIA SUDAO BASHIR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.