Líder rebelde checheno reivindica autoria de ataques em Moscou

O líder rebelde checheno Doku Umarov reivindicou responsabilidade pelos ataques suicidas no metrô de Moscou, que mataram 39 pessoas, segundo um vídeo publicado em site não-oficial de rebeldes islâmicos nesta quarta-feira.

REUTERS

31 de março de 2010 | 15h15

Umarov, que se autodeclara o "emir do Emirado do Cáucaso", disse que no vídeo que ele ordenou pessoalmente os ataques. Ele acrescentou que os ataques contra a Rússia continuarão.

"Como todos vocês sabem, em 29 de março em Moscou duas operações especiais foram realizadas para destruir os infiéis e para enviar saudações à FSB", disse Umarov no vídeo de quatro minutos e meio publicado no site www.kavkazcenter.com.

Uma das estações de metrô atingidas ficava a alguns metros de distância da sede do Serviço Federal da Rússia (FSB), principal serviço de segurança interna do país.

"Ambas as operações foram realizadas sob meu comando e não serão as últimas", disse ele no vídeo.

Ele falou um russo com sotaque bastante pesado e acrescentou que falava no dia 29 de março.

(Reportagem de Guy Faulconbridge e Ludmila Danilova)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIACHECHENOASSUME*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.