Líder rebelde curdo na Turquia pede congresso por desarmamento

O líder militante curdo Abdullah Ocalan pediu a seus seguidores que tomem a decisão "histórica" de baixar suas armas, de acordo com um comunicado nesta sábado, um passo crucial nos esforços da Turquia para acabar com a insurgência de 30 anos de rebeldes curdos.

REUTERS

28 de fevereiro de 2015 | 17h00

O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, comemorou o pedido, mas alertou os rebeldes falharam em cumprir promessas anteriores.

Sirri Sureyya Onder, lesgislador do Partido Democrata do Povo, pró-curdo, leu o comunicado de Ocalan pedindo ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) que participe de um congresso sobre desarmamento nos meses da primavera.

"Convido o PKK a participar de um congresso extraordinário nos meses da primavera para tomar a decisão estratégica e histórica de abandonar a luta armada", disse Onder, citando Ocalan, com quem uma delegação do Partido Democrata do Povo se reuniu nesta semana.

Onder falou ao vivo na televisão ao lado do vice-primeiro-ministro, Yalcin Akdogan, que afirmou que a medida na direção do desarmamento mostra que "uma importante fase no processo de resolução foi alcançada", após os dois lados terem se reunido rapidamente em Istambul.

(Por Ayla Jean Yackley)

Tudo o que sabemos sobre:
TURQUIACURDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.