Líderes de protestos na Ucrânia condicionam diálogo a renúncia de presidente

Os líderes dos protestos na Ucrânia disseram nesta quarta-feira que não irão negociar com o presidente do país, Viktor Yanukovich, até que suas demandas, incluindo a renúncia do mandatário, sejam atendidas.

Reuters

11 de dezembro de 2013 | 16h38

Oleh Tyahnibok chamou de "uma farsa e uma comédia" o convite feito mais cedo nesta quarta-feira por Yanukovich para conversar.

Ele e seu colega de protesto Arseniy Yastenyuk afirmaram que não irão negociar com o presidente para acabar com a crise política, após mais de duas semanas de manifestações, até que suas demandas tenham sido atendidas.

Líderes da oposição querem a renúncia de Yanukovich e de seu governo, a libertação do que dizem ser prisioneiros políticos e que as tropas de choque suspeitas de violência contra manifestantes sejam punidas.

(Reportagem de Natalia Zinets)

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIALIDERESDIALOGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.