Livre da prisão, ex-magnata russo do petróleo encontra família

O ex-magnata do petróleo Mikhail Khodorkovsky reuniu-se com membros da família em Berlim neste sábado, um dia após ter sido libertado da prisão, onde ficou por uma década, período no qual tornou-se um dos críticos mais proeminentes do presidente russo Vladimir Putin .

Reuters

21 de dezembro de 2013 | 15h57

Khodorkovsky, 50 anos, foi libertado de uma remota prisão perto do Círculo Polar Ártico na sexta-feira depois que Putin o concedeu pedido de perdão. Ele imediatamente voou para Berlim, onde seus parentes chegaram no sábado.

"Minha família está finalmente reunida e nós estamos muito, muito felizes por estarmos juntos depois dos 10 anos de separação", disse seu filho Pavel Khodorkovsky, que voou dos Estados Unidos para a capital alemã.

"Como você pode imaginar, meu pai está passando por muita coisa agora", acrescentou.

Os idosos pais de Khodorkovsky, Marina e Boris, também voaram ao encontro do filho, disse um porta-voz da família.

Khodorkovsky, que foi preso em outubro de 2003 sobre acusações de fraude e evasão fiscal, foi condenado duas vezes por crimes financeiros, os quais ele se declarou inocente.

Críticos do Kremlin dizem que ele irritou Putin por financiar partidos de oposição, questionando decisões sobre a política de oleoduto, levantando acusações de corrupção.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAMAGNATAPETROLEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.