Londres amplia restrições aéreas por causa de vulcão na Islândia

O tráfego aéreo está fechado no Reino Unido desde a manhã da quinta-feira e o NATS vai divulgar uma nova estimativa pela manhã

EFE

18 de abril de 2010 | 04h47

O Centro de Controle do Tráfego Aéreo do Reino Unido (NATS, na sigla em inglês) ampliou neste domingo para as 19h (horário local, 16 de Brasília) o fechamento do espaço aéreo por causa da nuvem de cinzas lançadas à atmosfera por um vulcão islandês.

 

O NATS tomou esta decisão após consultar a última previsão do Escritório de Meteorologia e constatar que a nuvem de cinzas continua cobrindo a prática totalidade do espaço aéreo britânico.

 

O tráfego aéreo está fechado no Reino Unido desde a manhã da quinta-feira e o NATS vai divulgar uma nova estimativa às 6h (de Brasília).

 

O chefe de segurança do Centro de Controle, Paul Haskins, disse que a situação "está muito em transformação neste momento" e explicou que segundo as previsões do Escritório Meteorológico "a nuvem de cinza voltará a ocupar o espaço aéreo britânico, por isso que as restrições continuam de pé".

 

O professor Brian Golding, chefe de previsões do Escritório Meteorológico britânico, disse que é provável que a nuvem vulcânica permaneça sobre o Reino Unido durante vários dias mais.

 

"Precisamos de uma mudança de direção do vento que se mantenha durante vários dias e não há indícios que isso vá acontecer no futuro imediato", disse Golding.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.