Londres lembra o 3º aniversário de atentado contra transportes

56 pessoas morreram durante explosões em trens do metrô e um ônibus urbano na capital britânica

Agências internacionais,

07 de julho de 2008 | 09h47

Passageiros, sobreviventes e familiares das vítimas lembraram nesta segunda-feira, 7, o terceiro aniversário dos atentados de Londres do dia 7 de julho de 2005, nos quais morreram 56 pessoas, entre elas os quatro terroristas suicidas. Várias pessoas se reuniram em frente à estação de King's Cross para lembrar as vítimas dos ataques, que foram perpetrados contra três trens do Metrô e um ônibus urbano.   O prefeito de Londres, Boris Johnson; a ministra britânica para os Jogos Olímpicos, Tessa Jowell, e diretores da rede do transporte de Londres depositaram flores na estação às 7h50 (4h50 de Brasília), a hora em que explodiu a primeira bomba no dia 7 de julho de 2005. Em uma nota depositada junto às flores, Johnson disse que o país lembra as vítimas fatais e destacou a coragem dos que ficaram feridos pela explosão dos quatro artefatos.   Familiares das vítimas também foram às outras estações atacadas, Edgware Road, Russell Square e a praça de Tavistock, próxima ao Museu Britânico, onde explodiu uma das bombas em um ônibus urbano.   Os atentados do dia 7 de julho, que quatro terroristas realizaram quando detonaram as bombas que levavam em suas mochilas, coincidiram com a cúpula do Grupo dos Oito (G8, os sete países mais ricos e a Rússia) que se realizava em Gleneagles, na Escócia. Dias depois, o eletricista brasileiro Jean Charles de Menezes foi morto a tiros em uma estação de metrô de Londres, ao ser confundido por policiais com um suposto homem-bomba.

Tudo o que sabemos sobre:
LondresReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.