Londres quer confiscar álcool de adolescentes nas ruas

Governo britânico quer ampliar medida que prevê apreensão apenas sob a suspeita do consumo em público

Efe,

06 de fevereiro de 2008 | 11h36

O governo britânico quer ampliar os poderes da polícia para apreender álcool dos menores de 18 anos mesmo se não houver suspeitas de que será consumido em público, como parte de uma campanha para combater os distúrbios de rua. A ministra de Interior britânica, Jacqui Smith, disse nesta quarta-fe-ra, 6, à BBC que estuda estender estes poderes às forças da ordem, que atualmente só podem confiscar as bebidas alcoólicas dos menores se houver uma forte suspeita de que serão consumidas. "Neste momento, a polícia tem que ter a suspeita de que o álcool será consumido. Se um jovem não deve tomar, acho que também não deve estar de posse de álcool na rua", acrescentou Smith. "Portanto, vou ver se devemos reforçar ou não a posse do álcool em público para os jovens menores de 18 anos", disse. Pela legislação britânica, os menores de 18 anos podem estar de posse de álcool em público, sempre e quando não for consumido, mas a polícia pode apreender a bebida se houver suspeitas de que será usado. A lei também proíbe a venda de álcool aos menores de 18 anos.  "O confisco é certamente uma campanha que apoiaremos a partir da próxima semana por um período de tempo", assinalou Smith, que não disse até quando vigorará. Com a campanha, "fica muito claro que os jovens não deveriam beber álcool nas ruas diante das preocupações das comunidades locais e da possibilidade de que possam se envolver em crimes e desordens", acrescentou a titular de Interior.

Mais conteúdo sobre:
Reino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.