Lukashenko é reeleito na Bielo-Rússia; oposição é reprimida

Marcha de até 10 mil pessoas entoou 'o Fora!' para o atual presidente da antiga república soviética

Associated Press

20 de dezembro de 2010 | 05h51

 O presidente bielo-russo, Alexander Lukashenko, ganhou nesta segunda-feira, 20, um quarto mandato consecutivo depois de arrasar em uma eleição manchada pela violência da Polícia contra manifestantes e a prisão de candidatos opositores.

 

No domingo, 19, até 10 mil pessoas marcharam pela nevada capital Minsk cantando "Fora!", "Longa vida a Bielo-Rússia!" e outras sentenças contra Lukashenko em um dos desafios mais significativos em seus 16 anos de governo com punho de ferro.

 

A polícia avançou, usando cacetes na Praça da Independência, disse um repórter da Reuters no lugar. Alguns manifestantes da ex-república soviética lançaram pedras e bolas de neve na Polícia.

 

Várias pessoas ficaram deitadas no chão, incluindo uma anciã que recebeu um golpe na cabeça. Outros foram levados a empurrões a veículos policiais. A oposição informou que ao menos três candidatos foram detidos.

 

A oposição diz que Lukashenko manipulou a eleição. A União Europeia está observado com atenção, estimando quanto deve se envolver com um país de 10 milhões de habitantes em sua fronteira leste, em meio a tensões de Lukashenko com seu principal benfeitor, Rússia.

 

A União Europeia apresentou a possibilidade de oferecer ajuda financeira se a eleição do domingo, 19, for considerada justa. A análise será feita a partir de informações colhidas pelos observadores da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), que reportará nesta segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.