Lula fala de perseguição a imigrantes brasileiros

Declaração foi feita quando o presidente falava das boas relações empresariais entre Brasil e Itália

Daniel Gallas, enviado especial da BBC Brasil a Roma

01 de junho de 2008 | 12h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse neste domingo que espera que a perseguição aos imigrantes que chegam à Europa não aconteça também com os brasileiros.   Lula falou a jornalistas em entrevista coletiva na embaixada brasileira em Roma. A declaração foi feita quando o presidente falava das boas relações empresariais entre Brasil e Itália.   "Acho que só tende a melhorar a relação Brasil e Itália. Eu trabalho com a convicção de que essa perseguição aos imigrantes que está acontecendo hoje na Europa – e também aqui na Itália – de que ela não aconteça com brasileiros", disse Lula. "Toda vez que alguém quiser perseguir um brasileiro, tem que lembrar que o Brasil age com coração de mãe. Aquele país recebeu muito bem os italianos, os espanhóis, os portugueses, os japoneses, os chineses, os coreanos, os paraguaios, os bolivianos, os alemães."   "Ou seja, nós não queremos nada mais, só queremos que as pessoas nos tratem como nós às tratamos a vida inteira. E aí seremos felizes para todo o sempre."   Berlusconi   Em visita a Itália até terça-feira para uma conferência internacional sobre preço dos alimentos, Lula não se encontrará com o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi.   Lula disse que deve se encontrar com Berlusconi em outubro deste ano, quando pretende fazer uma viagem oficial à Itália.  Berlusconi assumiu o cargo de primeiro-ministro em abril deste ano e prometeu aumentar o rigor contra os imigrantes no país. "Vamos fechar as fronteiras e aplicar a lei Bossi-Fini", afirmou Berlusconi ao assumir, fazendo referência à lei que restringe a entrada de estrangeiros no país.  A Itália – ao lado de Portugal – é um dos países europeus que mais recebe imigrantes brasileiros. Estima-se que mais de 60 mil brasileiros vivem no país.

Mais conteúdo sobre:
LulaimigrantesRoma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.