Macedônia vai às urnas para eleger novo Parlamento

Aproximadamente 1,8 milhão de macedônios elegerão 120 deputados entre candidatos de 18 partidos

EFE

01 de junho de 2008 | 06h48

A Macedônia realizará neste domingo suas eleições legislativas, antecipadas por conta da crise política causada pela independência do Kosovo e a decisão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) de não convidar o país para aderir ao grupo. Um total de 1,8 milhão de macedônios elegerão 120 deputados entre candidatos de 18 partidos. Os 2.976 colégios eleitorais abriram às 7h locais (2h de Brasília) e só fecham às 19h (14h). As primeiras parciais devem ser anunciadas poucas horas depois do encerramento da votação. A Macedônia é dividida em seis circunscrições e cada uma elege, segundo um sistema proporcional, 20 deputados para o Parlamento. O país vive uma crise política porque os gregos fizeram gestões para impedir sua entrada na Otan até que seja solucionado o conflito com a ex-república iugoslava por causa de seu nome. Além disso, a minoria albanesa na nação quer o reconhecimento da soberania de Kosovo imediatamente. O futuro Governo também deverá cumprir as reformas pendentes para que a União Européia (UE) possa iniciar as negociações para a adesão da Macedônia ao bloco europeu, pois é candidata desde dezembro de 2005. A Otan pede que seja resolvido até 9 de julho o problema com a Grécia sobre o nome do país - "Macedônia" é como são denominadas as províncias do norte grego, o que fere o orgulho da nação. A votação será acompanhada por cerca de 5.000 observadores, sendo 250 estrangeiros, em sua maioria da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE). A Organização Revolucionária Macedônia do Interior (VMRO-DPMNE), atualmente no poder e legenda mais popular no país, conta com 31,3% dos votos e espera voltar a ser situação. Sua principal adversária será a União Social-Democrata da Macedônia (SDSM), que busca voltar a comandar a nação, mas que possui apenas 11,2% da preferência. Os votos da importante minoria albanesa - 25% da população - são disputados pela União Democrática para a Integração (BDI), da oposição e formada a partir da antiga guerrilha separatista. A legenda está cm 9,1% dos votos. Já o Partido Democrático dos Albaneses (DPA), integrante da coalizão governante, aparece com 5,6%

Mais conteúdo sobre:
MacedôniaGréciaKosovoOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.