Madeleine pode ter sido levada por pedófilos

Detetives contratados pelo casal McCann afirmam que seqüestrador teria espionado família por vários dias

Efe,

28 de outubro de 2007 | 14h23

A menina britânica Madeleine McCann, que desapareceu no sul de Portugal em 3 de maio, pode ter sido seqüestrada por um grupo de pedófilos, segundo informou na edição deste domingo, 28, do jornal News of the World.   Veja Também Falhas no caso Madeleine Cronologia    A agência espanhola Método 3, com sede em Barcelona, foi contratada pelos pais da menina, Kate e Gerry McCann, e acredita que Madeleine foi escolhida como alvo por uma informação recebida de dentro do complexo turístico de Praia da Luz, onde a família passava férias.   A Método 3 começou a trabalhar para os McCann há dois meses, e está reunindo uma lista de pedófilos portugueses conhecidos por terem como alvo meninas da idade de Madeleine, afirmou o jornal.   Após ser avisado por alguém do complexo turístico sobre a presença de uma menina ocidental loira, o seqüestrador teria espionado a família durante dias aguardando o melhor momento para capturar a criança, que teria sido transferida para o Marrocos e vendida para outra rede de pedófilos.   Uma fonte próxima à investigação disse ao jornal que, embora essa hipótese seja "terrível" para os pais, é a primeira vez que "uma das agências particulares com sede na Europa está trabalhando em uma teoria possível sobre o que ocorreu". "Isso dá esperanças de que (Madeleine) ainda esteja viva", acrescentou a publicação.   Em declarações ao News of the World, o diretor-gerente da Método 3, Francisco Marco, se mostrou convencido de que "Madeleine foi seqüestrada, e seus pais não tiveram nada a ver com o seu desaparecimento".   "Minha opinião é de que o lugar mais provável para encontrá-la é o Marrocos", disse, acrescentando "não descartar nenhuma hipótese relacionada com o caso".   Madeleine desapareceu do quarto em que dormia com os irmãos gêmeos, de dois anos, no complexo turístico de Praia da Luz, enquanto seus pais jantavam em um restaurante do hotel.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleine McCann

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.