Madeleine pode ter sido vítima de rede de pedofilia

Segundo imprensa inglesa, Maddie foi seqüestrada três dias após ser fotografada pela rede internacional

Da redação, estadão.com.br,

07 de agosto de 2008 | 06h29

A inglesa Madeleine McCann pode ter sido seqüestrada por uma rede internacional de pedofilia, afirmam os jornais ingleses nesta quinta-feira. Os arquivos policiais sobre o caso foram divulgados.   Veja também Pais de Madeleine criticam polícia por omissão de pistas Ex-inspetor diz que corpo de Madeleine foi congelado Portugal fecha caso Madeleine e nega envolvimento de pais   Segundo reportagem do Telegraph, baseada nos e-mails divulgados, a polícia inglesa recebeu informações que Maddie foi seqüestrada depois de ser fotografada pela rede internacional. A ordem para seqüestrar uma jovem menina foi dada pelo grupo baseado na Bélgica três dias antes de Madeleine desaparecer.   Segundo reportagem do jornal Daily Express, uma lojista holandesa afirma ter estado com Madeleine em sua loja em Amsterdam. Segundo Anna Stam, a menina disse ser Maddie e o casal que estava com ela agia como turista. Além disso, Stam diz ter avisado a polícia holandesa, mas a pista não foi investigada pelos policiais portugueses.   No último dia 21 de julho, a polícia portuguesa encerrou a investigação sobre o desaparecimento de Madeleine e esclareceu que o casal McCann não possui qualquer envolvimento com o sumiço da filha.   Madeleine desapareceu na noite de 3 de maio de 2007 - nove dias antes de seu aniversário de quatro anos - do apartamento onde dormia com os irmãos gêmeos, enquanto os pais jantavam com amigos em um restaurante próximo, no litoral do Algarve. O caso ganhou repercussão internacional, especialmente depois que a polícia qualificou os pais da criança como suspeitos.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleine McCannMaddieCaso Maddie

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.