'Mãe chamou princiesa Diana de prostituta', diz ex-mordomo

Afirmação foi feita por Paul Burrel durante depoimento que investiga a morte da princesa, em agosto de 1997

Associated Press,

15 de janeiro de 2008 | 13h30

A princesa Diana foi chamada de "prostituta" pela própria mãe, segundo afirmou o ex-mordomo da princesa, Paul Burrel. A declaração foi feita durante um depoimento no caso que investiga a morte de Diana em um acidente de carro no dia 31 de agosto de 1997, em Paris.  Blair 'flertou' com Diana em jantar, diz advogado de Al-Fayed Paul Burrel afirmou também que a mãe de Diana criticou a princesa por ela estar se relacionando com um homem muçulmano. À época, Diana namorava o empresário Dodi Fayed, que também morreu no acidente. Antes de se envolver com Fayed, Diana teve um romance com o cirurgião Hasnat Khan. No livro A Royal Duty (Uma questão de honra), publicado em 2003, Burrel cita uma nota escrita por Diana antes de sua morte. "O próximo fim de semana será importante", escreveu a princesa ao mordomo, mostrando estar aflita.  Especulações apontam que havia um plano de assassinato da princesa. O pai de Dody Fayed, Mohamed Al Fayed, acredita que o príncipe Philip - da família real britânica - coordenou o plano de assassinato do casal.  Nesta terça-feira, 15, Burrel chegou na Alta Corte de Londres para continuar seu depoimento no caso. Em declarações anteriores, Burrel afirmou que há um segredo sobre a morte da princesa Diana, mas que ele não consegue se lembrar qual é. Segundo ele, as informações estariam em um jornal que ele guardou - quando fazia um arquivo com notícias divulgadas sobre Diana. Mais tarde, o ex-mordomo negou a existência de um jornal e que nunca guardou notícias sobre a princesa. 

Tudo o que sabemos sobre:
princesa DianaPaul Burrel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.