Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Maioria de estudantes estrangeiros é latina na UE

Mais de 31 mil alunos de cursos superiores na Espanha vem de países como: México e Colômbia

EFE,

29 de março de 2008 | 12h21

Os latino-americanos são a maioria dos mais de 30 mil estudantes de países que não são da União Européia (UE). Estes alunos chegam à Espanha para fazer pós-graduação, mestrado ou outros cursos superiores, e uma quantidade indeterminada deles decide ficar no país após a conclusão dos estudos.   A diretora do Escritório do Estudante Extracomunitário (OEX) da Universidade Complutense de Madri, Liliana Carrera, disse à Agência Efe que na Espanha vivem entre 31 mil e 32 mil alunos vindos de países que não pertencem ao bloco europeu.   O número não inclui os que escolhem fazer cursos não oficiais nem os estudantes que visitam a Espanha, razão pela qual a quantidade de alunos de países que não integram a UE é maior.   Segundo Carrera, quase um terço dos estudantes é de origem mexicana ou colombiana. Atrás desses, aparecem brasileiros,americanos e marroquinos.Em menor proporção, estão alunos de países como Peru, Chile,Venezuela e Argentina.   Carrera explicou ainda que um percentual indeterminado desses estudantes permanece na Espanha por causa das dificuldades financeiras em seus países ou por acreditarem que podem encontrar melhores oportunidades no exterior.   A diretora do OEX também disse que o escritório está começando a elaborar um projeto de repatriação que permita a inserção dos estudantes em seus países de origem, sobretudo daqueles que ficam na Espanha e acabam trabalhando em um posto abaixo de sua qualificação.   Para isso, está sendo estudada a possibilidade de empresas espanholas com filiais nos países latino-americanos contratarem universitários desse continente que se formaram recentemente na Espanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.