Manifestantes acampados perto de Heathrow preparam ações

Os manifestantes acampados na área ondedeve ser construída uma nova pista do aeroporto de Heathrow, emLondres, disseram na sexta-feira ter elaborado uma lista dealvos para "ações diretas" a serem realizadas durante o finalde semana, alvos que incluiriam um banco e a BAA, responsávelpor administrar o aeroporto. Os envolvidos no protesto, acampados desde sábado perto dacerca do perímetro norte de Heathrow, o aeroporto internacionalmais movimentado do mundo, também elegeram como alvos os aviõesde carga e um quinto terminal, ainda em obras. Os passageirosnão seriam atingidos diretamente. "Não temos nada para discutir com os passageiros. Essa açãovisa impedir que os governos e as empresas adotem decisõesinaceitáveis e baseadas apenas na lógica do lucro", afirmouSophie Stephens, porta-voz dos manifestantes. Cientistas dizem que o setor aéreo contribui enormementepara o aquecimento global e observam que o dióxido de carbono eo vapor de água emitidos a grandes altitudes possuem um poderde aquecimento quatro vezes maior do que quando emitidos aonível do mar. O governo britânico comprometeu-se com enfrentar asmudanças climáticas por meio da diminuição das emissões de gáscarbônico. Mas, de outro lado, o país vem alimentando aampliação do setor aéreo, que deve dobrar de tamanho nospróximos 25 anos. Os manifestantes, que somam hoje cerca de 800 pessoas, masque devem ganhar mais adeptos durante as planejadas 24 horas deação, desejam que os planos de ampliação de Heathrow sejamdescartados e que a expansão do setor aéreo seja suspensa. Stephens afirmou que o grupo pretende cercar a sede emLondres do Royal Bank of Scotland. O banco vem trabalhando empareceria com o controlador da BAA, a Ferrovial (da Espanha). Os manifestantes também realizariam uma passeata perto dasede da BAA no aeroporto e tentariam interromper operações devôo de carga, entre outras ações. Em média, Heathrow recebe um vôo por minuto. Inaugurado 60anos atrás, o aeroporto foi desenhado para comportar umtrânsito de 40 milhões de passageiros ao ano, mas hoje já vêpassar por suas instalações 70 milhões de passageiros. A BAA reconhece que o aquecimento global é um problema, masargumenta que o setor aéreo contribui apenas com uma pequenafração das emissões de gás carbônico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.