Manifestantes na Ucrânia enfrentam polícia diante do Parlamento

Cerca de 2 mil manifestantes, entre eles veteranos da Guerra do Afeganistão (1979) e refugiados do desastre nuclear de Chernobyl, entraram em confronto com policiais em frente ao Parlamento da Ucrânia nesta quinta-feira, ao protestar contra os planos do governo de cortar o pagamento de indenizações e subsídios.

REUTERS

03 de novembro de 2011 | 11h48

Centenas de comerciantes e empreendedores de pequenas e médias empresas também estavam entre os manifestantes, que romperam uma barreira de metal para tentar entrar no prédio do Parlamento.

Eles foram afastados por policiais, que colocaram um cordão de isolamento ao redor do prédio. Não houve detenções.

A ex-república soviética está tentando cortar seus gastos orçamentários para cumprir uma promessa feita no ano passado que permitiria ao país retomar o acesso ao programa de 15 bilhões de dólares do Fundo Monetário Internacional, mas seus planos de austeridade têm enfrentado forte oposição da população.

O Parlamento ucraniano está analisando uma proposta de lei que permitirá ao governo reduzir o pagamento de compensações e subsídios a pessoas como veteranos da Guerra do Afeganistão e funcionários do setor emergências que trabalharam no local do acidente nuclear de Chernobyl, em 1986.

Os protestos, que agora estão ocorrendo com regularidade, são sintomáticos de uma crescente insatisfação com o programa de austeridade do governo como um todo.

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIAPROTESTOSPARLAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.