Manifestantes 'retomam' prédio vazio do UBS em Londres

Manifestantes anticapitalistas britânicos ocuparam nesta sexta-feira um terceiro ponto de Londres, ao "retomarem" a posse de um grande edifício comercial vazio pertencente ao banco suíço UBS.

NAOMI OLEARY, REUTERS

18 de novembro de 2011 | 20h02

Uma dúzia de ativistas do movimento Ocupe Londres usou escadas durante a madrugada para chegar ao primeiro andar do prédio, no centro financeiro da cidade.

"O UBS foi resgatado por 60 bilhões de dólares em 2008, e tinha um operador desgarrado que perdeu bilhões só neste ano", disse Tanya Paton, porta-voz do grupo.

"Isso mostra como os bancos são ricos e incompetentes, pois podem perder esse dinheiro e nem notar. Os bancos suíços são usados como paraísos fiscais por todos, dos nazistas ao (ex-líder líbio Muammar) Gaddafi."

O Ocupe Londres, inspirado no Ocupe Wall Street, em Nova York, já montou acampamentos em frente à catedral de Saint Paul e na praça Finsbury, no coração da City londrina.

A escolha do terceiro local a ser ocupado aparentemente misturou pragmatismo e ideologia. O prédio do UBS já é um velho conhecido dos "squatters" (pessoas que ocupam moradias), que ali estiveram durante a reunião de 2008 dos líderes do G20.

Os manifestantes levaram a Reuters para um tour no cavernoso edifício. Algumas salas estavam tomadas com chaves de fenda, galões de tinta, cordas e camas improvisadas.

Os ocupantes usavam vassouras e aspiradores para arrumar o local. Por baixo de uma pilha de vidros quebrados, sobre os carpetes manchados, era possível ver uma brochura relacionada ao pagamento dos executivos. Computadores antigos, arquivos em papel e persianas estavam intactos.

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHALONDRESMANIFESTANTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.