Manifestantes voltam a ocupar ruas na Geórgia

Oposição pede desde a sexta-feira a saída do presidente do país e a convocação de eleições parlamentares

Efe,

07 de novembro de 2007 | 08h06

Centenas de manifestantes voltaram a ocupar a praça em frente ao Parlamento da Geórgia, onde um dos principais líderes da oposição, o ex-ministro para resolução de conflitos Gueorgui Jaindrava, foi detido horas antes. Os opositores retornaram à praça e interromperam o tráfego na avenida Shota Rustaveli, a principal da capital georgiana, uma hora depois de a polícia dissolver a manifestação, que vinha acontecendo de maneira ininterrupta desde sexta-feira. A ocupação da praça em frente à sede do Legislativo é transmitida ao vivo pela rede de televisão Imedi. Agentes da Polícia conseguiram expulsar os manifestantes da avenida, embora a população tenha mantido o controle da praça. Num discurso aos manifestantes, a ex-ministra de Relações Exteriores Salomé Zurabishvili, hoje dirigente de oposição, pediu à comunidade internacional que condene as autoridades georgianas pela dissolução à força de uma manifestação pacífica. Os manifestantes exigem a renúncia do presidente georgiano, Mikhail Saakashvili e a convocação de eleições parlamentares no primeiro semestre de 2008. Segundo uma emenda aprovada há meses, as eleições parlamentares serão realizadas entre 1 de outubro e 31 de dezembro de 2008, meses depois do previsto anteriormente, de modo a coincidir com as presidenciais.

Tudo o que sabemos sobre:
Georgia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.