Maus-tratos em prisão de imigrante causam indignação na Itália

Divulgação de foto que mostra nigeriana caída no chão de delegacia provoca reação de políticos, diz jornal

Da Redação, estadao.com.br

14 de agosto de 2008 | 16h58

Uma fotografia que mostra uma jovem prostituta africana presa causa comoção na Itália desde que foi publicada nesta semana no jornal La Repubblica. A imagem exibe uma nigeriana suja e abandonada em uma delegacia em Parma, no norte da Itália, e provocou a reação de políticos e associações de direitos humanos, que denunciam as medidas do pacote de segurança do primeiro-ministro Silvio Berlusconi, informa nesta quinta-feira, 14, o jornal espanhol El País.   Veja também:  Itália declara estado de emergência por fluxo de imigrantes Senado italiano aprova lei que endurece imigração   A mulher foi detida em 9 de agosto, durante uma operação anti-prostituição. Segundo a polícia, ela foi encontrada "enquanto exercia a atividade". Como estaria sem documentos, foi levada à delegacia. "Como é normal, a nigeriana tentou causar pena nos policiais", afirmou ao El País o conselheiro de segurança de Parma, Constantino Monteverdi. "Primeiro, ela se sentou, e depois caiu no chão. Provavelmente teve uma crise de nervos", continuou.   De acordo com Monteverdi, não foi a primeira vez que a jovem foi levada pela polícia. "A Nigéria não a reconheceu" nas outras ocasiões, "e não se pôde expulsá-la", acrescentou. Na manhã seguinte, ela foi solta, segundo o jornal.   A reconstituição das autoridades, no entanto, parece não ter esclarecido totalmente o episódio. O opositor Partido Radical expressou sua indignação e enviou um documento ao Ministério do Interior buscando mais detalhes. Em uma carta aberta, os senadores Marco Perduca e Donatella Poretti questionaram se a operação anti-prostituição do governo Berlusconi seria de competência da polícia municipal, de acordo com o El País.   O presidente do Senado, Renato Schifani, também pediu explicações ao chefe policial de Parma. "Quem quiser adotar o princípio da tolerância zero não deve esquecer da dignidade e privacidade das pessoas", declarou ele, segundo o El País. "A dramática foto pode transmitir uma imagem de nosso país diferente da realidade", acrescentou.   O pacote de segurança de Berlusconi prevê poderes especiais para os prefeitos das cidades intervirem em situações de emergência contra mendigos e prostitutas. As medidas autorizam também a participação do Exército na segurança dos cidadãos, com a mobilização de 3 mil soldados que patrulharam as ruas, o que foi contestado pela oposição.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliaimigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.