McCann levariam 'Oscar' se estivessem fingindo, diz ex-assessor

Especialistas em situações de crise acredita que Gerry e Kate não tenham relação com sumiço de Madeleine

Efe,

06 de outubro de 2007 | 11h38

Uma pessoa que assessorou Gerry e Kate McCann durante as semanas posteriores ao desaparecimento de sua filha Madeleine em 3 de maio, no Algarve português, afirma que viu o casal desabar emocionalmente e que, caso estivessem fingindio, mereceriam "um Oscar".   Veja Também Falhas no caso Madeleine Cronologia  Em declarações feitas ao jornal britânico The Times, Alex Woolfall, que assessorou o casal nos dias depois do desaparecimento da criança, acredita que os pais de Madeleine não têm nenhuma ligação com o ocorrido. Woolfall relata ao jornal que foi testemunha das oscilações no estado de ânimo dos pais da menina, que passavam da "angústia descontrolada" à determinação de fazer o que fosse necessário para encontrar sua filha. "Para mim, se estivessem ligados (ao desaparecimento) e fossem culpados de alguma maneira, teriam que ganhar todos os Globos de Ouro e todos os prêmios Oscar possíveis", disse. Woolfall, especialista em situações de crise e que trabalha como relações públicas para o grupo de comunicação Bell Pottinger, foi a Portugal em 5 de maio, como parte da ajuda de emergência prestada pelo agência de férias Mark Warner ao casal. Na Praia da Luz, o especialista se reuniu com Gerry e Kate McCann.   "Eles se comportaram exatamente como teria imaginado que alguém faria em sua situação. Não tinham dormido. Tentavam ver o que fazer em seguida que pudesse gerar imagens da menina. E estavam desesperados por mostrar o rosto em público", lembrou.O especialista ajudou o casal a descarregar fotos de Madeleine que tinham tirado com a câmara digital para poder enviá-las aos veículos de comunicação. "Tentavam fazer duas coisas ao mesmo tempo: uma, fazer frente ao que estava acontecendo a eles emocionalmente, e dois, agir de forma lógica para ajudar a encontrá-la".Além de enviar as fotos à agência de notícias "Press Association" para que fossem distribuídas por toda a imprensa britânica, Woolfall lembra que o casal queria "fazer mais" para tentar encontrar a filha."Estavam esgotados e angustiados, mas pensavam: deveríamos sair e dizer algo que possa ajudar a recuperá-la? Disseram que queriam falar com a imprensa. Estavam muito cansados, mas isso era algo que estavam decididos a fazer", afirmou.Segundo Woolfall, uma das hipóteses consideradas pelo casal na noite do desaparecimento da menina foi que Madeleine poderia estar "perambulando e ter sofrido um acidente", ou mesmo que alguém sem más intenções poderia ter levado a criança."Durante a primeira semana, não estavam pensando. Estavam em estado de choque", afirmou.Além disso, Woolfall afirmou que, quando soube que os McCann eram considerados "suspeitos", achou que era uma suposição "ridícula". "Não podia acreditar. Era algo completamente absurdo", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleien McCannPortugalReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.