Médico da ONU que contraiu Ebola na Libéria chega à Alemanha para tratamento

Médico da ONU que contraiu Ebola na Libéria chega à Alemanha para tratamento

Infectado em solo liberiano, o alemão é o segundo membro da Missão das Nações Unidas na Libéria a contrair o vírus

REUTERS

09 de outubro de 2014 | 10h33

Um médico participante da missão da Organização das Nações Unidas (ONU) na Libéria que foi diagnosticado com o Ebola chegou à cidade de Leipzig, na Alemanha, nesta quinta-feira para ser tratado em uma clínica local com instalações especializadas, informaram as autoridades.

Infectado em solo liberiano, o médico não identificado é o segundo membro da Missão das Nações Unidas na Libéria (Unmil, na sigla em inglês) a contrair o vírus, e o terceiro paciente de Ebola encaminhado à Alemanha para tratamento. O primeiro deles morreu em 25 de setembro.

“O homem será tratado em uma ala isolada... com medidas rígidas de segurança”, disse a doutora Iris Minde, chefe da clínica St Georg, em Leipzig, em um comunicado. “Não há risco de infecção para outros pacientes, parentes, visitantes ou a população.”

O hospital ressaltou que seus médicos e assistentes foram totalmente preparados e que recebem treinamento constante para trabalhar em uma ala isolada com pacientes portadores de doenças altamente infecciosas.

Uma enfermeira espanhola se tornou a primeira pessoa a contrair o Ebola fora do oeste da África, zona que concentra os casos, enquanto cuidava de um padre que morreu em decorrência da doença.

O pior surto de Ebola já registrado matou 3.879 pessoas até o dia 5 de outubro, a maioria na Libéria, Guiné e Serra Leoa, de acordo com as cifras mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAONUMEDICOEBOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.