Medvedev critica manobras militares da Otan na Geórgia

Presidente russo pede por novo tratado de segurança transatlântica com nações ex-soviéticas

AE-AP, Agencia Estado

15 de maio de 2009 | 10h16

O presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, criticou os exercícios militares que ocorrem na Geórgia. Medvedev fez um chamado por um novo tratado de segurança transatlântica, em comentários transmitidos nesta sexta-feira, 15, por rádio e televisão.

 

O presidente russo afirmou que a expansão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) rumo ao leste criou novas divisões e atrapalha a segurança europeia. Estados Unidos, Canadá, a União Europeia, a Otan e algumas alianças com nações ex-soviéticas devem fazer parte de um novo organismo de segurança, defendeu Medvedev, em entrevista à emissora estatal de televisão.

A Rússia e a Otan começaram recentemente a melhorar suas relações, congeladas após a guerra entre Moscou e a Geórgia, em agosto. Apesar disso, as tensões voltaram a crescer após a expulsão de diplomatas e pelos exercícios militares iniciados em território georgiano na semana passada.

 

 "O que é melhor: criar uma nova estrutura de segurança ou efetuar manobras militares na zona próxima e vizinha à área que foi cenário de uma ação militar em menos de um ano?", questionou o mandatário. Moscou critica a Otan por aceitar repúblicas ex-soviéticas e satélites da Europa Central e do Leste Europeu como seus integrantes. Também se opõe ferozmente ao plano da aliança de incluir vizinhos russos como Geórgia e Ucrânia.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaGeórgiaOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.