Medvedev defende uma Rússia atrativa para ser respeitada

A Rússia deve ser atrativa para ser respeitada pelo resto do mundo, e não pode ser mais forte se não mantiver boas relações com o exterior, disse no domingo o presidente Dmitry Medvedev.

OLEG SHCHEDROV, REUTERS

26 de julho de 2009 | 10h38

"Nossa imagem deve ser cômoda para os que trabalham conosco", declarou Medvedev em uma entrevista ao canal NTV que irá ao ar mais tarde.

"Não deveríamos ser espinhosos e difíceis de abordar, mas ao mesmo tempo deveríamos ser capazes de dar uma resposta firme quando as circunstâncias assim exigirem", completou ele segundo a transcrição fornecida pelo Kremlin.

Medvedev sucedeu no ano passado Vladimir Putin, cujo período como presidente durante oito anos coincidiu com um boom econômico em meio aos altos preços da energia e de um renascimento do orgulho nacional.

A política agressiva de Putin, sua obsessão em relançar o poderio militar da Rússia e sua tensão com o Ocidente em várias questões despertaram temores sobre um retorno à confrontação dos tempos da Guerra Fria.

Putin, agora primeiro-ministro russo, continua sendo mais influente que Medvedev e sua filosofia de desconfiança em relação ao Ocidente segue sendo popular entre muitos russos.

Em uma mensagem aos nacionalistas, Medvedev disse que melhorar as relações com o Ocidente é de interesse da Rússia e que a prosperidade do país ajudaria a imagem russa no exterior.

"Se quisermos apresentar a imagem adequada ao mundo, precisamos resolver nossos problemas", disse Medvedev. "Estamos nos esforçando para criar um país moderno e competitivo (...) Só podemos criar um país assim se tivermos relações normais com o mundo".

(Por Oleg Shchedrov)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAMEDVEDEV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.