Medvedev diz que Kosovo pode incendiar Europa

Favorito à Presidência russa reitera apoio aos sérvios e diz que independência é ameaça para o continente

Agência Estado e Associated Press,

27 de fevereiro de 2008 | 11h28

O vice-primeiro-ministro russo Dmitry Medvedev, franco favorito nas eleições presidenciais do país que acontecem no domingo, advertiu nesta quarta-feira, 27, que a independência de Kosovo tem potencial para desestabilizar a Europa.   Veja também: Quando a eleição russa esbarra na americana; ouça a análise de Lourival Sant´Anna     Na opinião de Medvedev, a província sérvia "ameaça a segurança e estabilidade da vasta região" e o reconhecimento da declaração de independência feita no último dia 17, encabeçada pelos Estados Unidos, "coloca a Europa numa posição muito difícil".   "Os Estados Unidos estão distantes e não enfrentam risco, mas a Europa pode pegar fogo", disse Medvedev durante comício eleitoral em Nizhny Novgorod, uma cidade às margens do Rio Volga. "Basta acender um fósforo para tudo pegar fogo", comentou.   A Rússia denunciou abertamente a declaração de independência de Kosovo, assim como a atitude dos Estados Unidos e de diversos países da União Européia (UE) de reconhecerem a secessão. Moscou adverte que a declaração feita pelos líderes albaneses étnicos de Kosovo viola as leis internacionais e ameaça destruir o sistema que rege atualmente as relações internacionais.   Medvedev observou que a independência de Kosovo pode encorajar o crime organizado e o tráfico de drogas na Europa, o que representa uma ameaça para a Rússia e para outros países.   O vice-primeiro-ministro, candidato endossado pelo presidente Vladimir Putin para as eleições de domingo, prometeu manter o apoio político à Sérvia e disse que um novo gasoduto russo dará "significante" ajuda econômica a Belgrado.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiaKosovoSérvia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.