Medvedev ordena investigação das eleições na Rússia

O presidente russo Dmitry Medvedev ordenou neste domingo uma investigação sobre as alegações de violação da votação durante as eleições parlamentares de 4 de dezembro, informou em sua página do Facebook neste domingo, um dia após manifestantes protestarem em relação às eleições em algumas das maiores cidades do país.

REUTERS

11 de dezembro de 2011 | 13h35

Dezenas de milhares de pessoas em Moscou e ao redor da Rússia pediram que as eleições ocorram novamente, no sábado, na maior manifestação da oposição que a Rússia já viu em anos.

A oposição disse que a eleição foi fraudada em favor do partido no poder, o Rússia Unida, que ganhou uma pequena maioria na Câmara Baixa.

"Não concordo com slogans ou declarações feitas nos protestos. No entanto, instruções foram dadas por mim para checagem de todas as informações nos postos eleitorais a respeito do cumprimento da legislação nas eleições", disse Medvedev em uma postagem no site de mídia social.

Manifestantes acenaram panfletos com frases como "Os ratos devem ir embora!" e "Vigaristas e ladrões - nos dêem a nossa eleição de volta!", durante os protestos no sábado em uma clara manifestação contra o Rússia Unida e o primeiro-ministro Vladimir Putin.

"Os cidadãos da Rússia tem a liberdade de expressão e liberdade para realizar comícios. As pessoas tem o direito de expressar a posição que mostraram ontem. Tudo aconteceu dentro da lei", disse Medvedev em seu primeiro comentário depois das manifestações.

Putin quer retornar à presidência para possivelmente os próximos 12 anos, sendo que já cumpriu dois mandatos entre 2000 e 2008.

Medvedev, que é presidente desde 2008, é um ávido usuário de sites de mídia social como o Facebook e o Twitter.

(Reportagem de John Bowker)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAMEDVEDEV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.