Medvedev sugere processo criminal por falhas espaciais da Rússia

O presidente russo, Dmitry Medvedev, levantou neste sábado a possibilidade de abertura de um processo criminal sobre os percalços espaciais do país, após uma série de lançamentos fracassados que envergonharam a Rússia.

REUTERS

26 de novembro de 2011 | 16h30

No início do mês, um lançamento projetado para trazer de volta amostras da lua de Marte Fobos não passou da órbita da Terra, deixando a primeira missão interplanetária da Rússia em anos com quase nenhuma chance de sucesso.

A falha ocorreu menos de três meses após uma missão de carga que levava alimento e combustível para a Estação Espacial Internacional ter queimado na atmosfera, logo após decolar.

"Os recentes fracassos são um forte golpe à nossa competitividade. Não significa que algo fatal aconteceu, significa que precisamos executar uma revisão detalhada e punir os culpados", disse Medvedev a jornalistas em comentários televisionados.

"Eu não estou sugerindo colocá-los contra a parede como sob o regime de Josef Vissarianovich (Stálin), mas punir seriamente tanto financeiramente ou, se a falha for óbvia, poderia ser uma punição disciplinar ou mesmo criminal", disse ele.

Medvedev fez recentemente apelos semelhantes por punições rigorosas após desastres atribuídos a corrupção por descuido e problemas com a infraestrutura enferrujada da Rússia, como um barco que afundou em julho, que matou 122 pessoas.

(Reportagem de Maria Kiselyova)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAMEDVEDEV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.