Merkel apoia intenção de governo espanhol de bloquear referendo na Catalunha

O presidente catalão, Artur Mas, diz que o povo da região, no norte do país, tem o direito de decidir sobre a separação da Espanha, e está fazendo planos para realizar um referendo em 9 de novembro, que o governo espanhol prometeu barrar com base em fundamentos constitucionais.

REUTERS

18 de julho de 2014 | 11h55

A chanceler alemã, Angela Merkel, expressou seu apoio ao governo espanhol, que está tentando bloquear um referendo pela independência da Catalunha, acrescentando que há um diferença entre conceder autonomia a regiões e permitir que um país seja dividido.

“Somos a favor da integridade territorial de todos os Estados, mas isso é completamente diferente de as regiões tornarem-se independentes e se organizarem por conta própria”, disse Merkel em uma coletiva de imprensa em Berlim, respondendo a questão de um jornalista espanhol.

Ela usou como exemplo o sistema federativo na Alemanha, dizendo que dá a Estados e municípios bastante espaço para tomarem suas decisões, mas acrescentou que isso era “completamente diferente de uma integridade territorial geral”.

“Então eu partilho a opinião do governo espanhol, e, além disso, eu não me envolvo em questões domésticas da Espanha”, disse Merkel.

A Catalunha, que representa cerca de 20 por cento da produção econômica espanhola e 16 por cento de sua população, tem sua própria língua e uma longa história de busca por maior autonomia.

(Por Michelle Martin)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAESPANHACATALUNHAUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.