Merkel pede mais atenção a jovens após tragédia em escola alemã

A chanceles alemã, Angela Merkel, fez um apelo no domingo para que a Alemanha preste mais atenção ao bem-estar dos jovens do país, dias depois de um jovem ter matado a tiros 15 pessoas em uma escola.

REUTERS

15 de março de 2009 | 10h28

Merkel se declarou chocada com o massacre na cidade alemã de Winnenden, perto de Stuttgart, onde o jovem de 17 anos Tim Kretschmer matou a tiros 15 pessoas com a arma de seu pai, e depois se matou.

"A lição (do incidente) é que nós devemos estar atentos a todos os jovens, isso vale para pais e educadores", disse Merkel à rádio Deutschlandfunk.

"Nós devemos fazer de tudo para evitar que as crianças tenham acesso a armas", disse

A tragédia de Winnenden suscitou apelos por parte de alguns políticos para endurecer as leis sobre armas no país.

O ministro do Interior alemão, Wolfgang Schaeuble, membro do partido de Merkel (Democrata Cristão), no entanto, descartou essa possibilidade em uma entrevista concedida à Reuters na semana passada.

Angela Merkel afirmou que o cumprimento das leis sobre como armas e munições devem ser guardadas precisam ser cumpridas.

(Reportagem de Kerstin Gehmlich)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAMERKELAPOIOJOVENS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.