Merkel sofre derrota em eleição estadual na Alemanha

A acirrada eleição de domingo no Estado alemão da Baixa Saxônia não produziu um vencedor claro, mas não restaram dúvidas de que a maior derrotada foi a chanceler Angela Merkel.

NOAH BARKIN, Reuters

21 de janeiro de 2013 | 11h51

Seu partido, a União Democrata Cristã (CDU), comandada no Estado pelo ascendente político David McAllister, havia se convencido na última semana sobre a iminência de uma histórica virada na campanha eleitoral da Baixa Saxônia, importante região agrícola e industrial no noroeste alemão, e que é considerada um termômetro da política nacional.

Mas, abertas as urnas, o SPD (sociais-democratas) e os verdes elegeram um deputado estadual a mais que os conservadores, que já governam o Estado.

O resultado foi uma amarga derrota para a chanceler, de 58 anos, que continua sendo franca favorita a um terceiro mandato nas eleições federais que ocorreram daqui a oito meses.

"É um revés. Não vou fingir que não é, e dói ainda mais por ter sido tão acirrado", disse Hermann Groehe, secretário-geral da CDU e grande aliado de Merkel, a uma rádio.

O resultado também dá à centro-esquerda a maioria no Bundesrat (Senado), o que significa que a oposição a Merkel poderá bloquear projetos do governo. Isso não mudará nem depois da eleição nacional de setembro, mesmo que a coalizão centro-direitista da CDU com os Democratas Livres preserve a maioria na Câmara Baixa.

A margem de manobra para Merkel na campanha federal tende a ser limitada, e a líder alemã, notoriamente avessa a riscos, poderá adotar uma posição ainda mais cautelosa em questões como a crise na zona do euro.

"Suponho que não será possível impor nada ao Bundesrat que o SPD não queira"', disse Vokler Kauder, líder da CDU no Parlamento.

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAPOLITICAMERKEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.