Metade das operações aéreas podem ser retomadas amanhã, diz UE

Comissário de Transportes chama situação de 'insustentável' e diz que autoridades estudam solução

Reuters e Associated Press

18 de abril de 2010 | 16h11

BRUXELAS - A presidência da União Europeia anunciou neste domingo, 18, que é possível que 50% dos voos normalmente realizados na Europa podem voltar a operar na segunda-feira após dias de caos nos aeroportos por conta do fechamento do espaço aéreo em alguns países devido à nuvem de cinzas expelidas por um vulcão no sul da Islândia.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Aeroportos e companhias pedem revisão de restrições

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Caos aéreo cancela 12 voos em Guarulhos hoje 

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Novos tremores no vulcão expelem mais cinzas

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Olhar Sobre o Mundo: Vulcão Eyjafjallajoekull

 

"A previsão é o que metade dos voos normalmente operados voltem na segunda. Será difícil, e por isso devemos coordenar", disse o secretário de Estado espanhol para Assuntos Europeus, Diego Lopez Garrido, após uma reunião com membros da Eurocontrol, agência de controle aéreo do continente.

 

O comissário de transportes europeu, Siim Kallas, também deu as mesmas previsões. Segundo ele, a situação atual é "insustentável" e as autoridades estão trabalhando para encontrar uma solução que não comprometa a segurança. "Não podemos aguardar até que as cinzas simplesmente desapareçam", disse.

 

Kallas disse que uma reunião de cunho técnico com os ministros dos Transportes europeus nesta segunda reuniria informações de voos de teste realizados por algumas companhias neste domingo. "Com base nas informações de voos testes deste domingo, creio que teremos como tomar uma decisão. Todos esses novos elementos devem ser levados em conta no encontro", completou, dizendo que a abertura do espaço aéreo europeu deve ocorrer de maneira progressiva.

 

Mais cedo, o Conselho de Aeroportos Internacionais europeu (ACI Europe) e a Associação de Linhas Aéreas Europeias (AEA, na sigla em inglês), emitiram um comunicado em conjunto dizendo que as medidas aplicadas pela Eurocontrol são exageradas. "A erupção do vulcão islandês não é um evento sem precedentes e os procedimentos aplicados em outras partes do mundo em ocasiões como essa não requerem o tipo de restrição que estão sendo usadas atualmente na Europa", informa o documento.

 

Cancelamentos

 

Por conta do fechamento parcial do espaço aéreo europeu, o número de voos cancelados no continente poderá chegar até 60 mil desde que as restrições começaram a valer, a partir da noite da quarta-feira. Só neste domingo, estima-se que 20 mil voos serão cancelados, cerca de 80% do que os aeroportos europeus costumam operar.

 

As restrições foram impostas pela Eurocontrol pelos temores de que as cinzas expelidas pelo vulcão Eyjafjallajökull possam danificar os motores das aeronaves. As companhias aéreas estimam que o bloqueio cause perdas de US$ 200 milhões por dia.

 

Permanecem com o espaço aéreo fechado Áustria, Bélgica, Bulgária, República Checa, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Hungria, Irlanda, Letônia, Luxemburgo, Holanda, Polônia, Eslováquia, Suécia, Suíça e Reino Unido.

 

As regiões norte da Itália e da Noruega também têm restrições, mas operam alguns voos. Aeroportos de Grécia, Portugal, Rússia, Turquia, Ucrânia e Espanha operam normalmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.