Militar espanhol mata namorada brasileira em Múrcia

Soldado atira contra cabeça na chegada da polícia; amiga da vítima, que trabalhava em prostíbulo, fica ferida

Efe,

02 de outubro de 2008 | 17h19

Uma brasileira morreu e outra ficou gravemente ferida ao serem atingidas por tiros disparados por um homem na localidade espanhola de Alcantarilla, na região de Múrcia. O autor dos disparos, um militar de 33 anos, fugiu da cena do crime, mas foi detido posteriormente. O chefe da Polícia de Múrcia, Carlos Llorente, informou que as duas mulheres eram amigas e trabalhavam em um prostíbulo. Ainda segundo o oficial, a brasileira que morreu namorava o atirador, que há um ano foi denunciado por maus-tratos por sua ex-mulher. O soldado, que pertence à base de pára-quedistas de Alcantarilla, está internado "em coma profundo" no hospital Virgen de la Arrixaca, já que atirou contra a própria cabeça quando se viu cercado por policiais, informaram à Agência Efe fontes médicas e das forças de segurança. A brasileira ferida, que recebeu um tiro na cabeça, está hospitalizada em estado grave na unidade de reanimação de um centro médico local, onde se recupera de uma cirurgia. A bala que a atingiu não chegou ao cérebro. Apenas levantou a pele. Após o tiroteio, o autor dos disparos foi encontrado na companhia de outra mulher em um bordel na antiga estrada de Alicante.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.