Ministro da Defesa alemão justifica bombardeio no Afeganistão

Ataque deixou 90 mortos, dentre os quais 40 eram civis; tropas alemãs estavam em situação de risco, diz ministro

Efe,

07 de setembro de 2009 | 13h07

O ministro da Defesa alemão, Franz Josef Jung, justificou nesta segunda-feira, 7, o ataque aéreo da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) contra dois caminhões na província de Kundus, no norte do Afeganistão, dizendo que a situação no local representava "uma ameaça concreta" para os soldados alemães. O ataque deixou 90 mortos e foi ordenado por militares alemães.

 

Veja também:

linkAtaque aéreo da Otan mata 90 pessoas no Afeganistão

especial Especial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão 

video Vídeo: Correspondente do 'Estado' fala do conflito no país

 

"Se os taleban se apoderam de dois caminhões, então nos encontramos em uma situação de perigo, para nosso acampamento e para nossos soldados", disse Jung, durante uma audiência em uma empresa que fabrica material militar, perto da cidade alemã de Hamburgo.

 

Jung também rejeitou as críticas sobre sua política informativa e disse que ele só informa sobre fatos concretos e não sobre rumores. Além disso, o ministro da Defesa anunciou que amanhã informará os líderes dos grupos parlamentares, com precisão, sobre o bombardeio em Kundus e assegurou que ele tem especial interesse em esclarecer o que realmente aconteceu.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaTalebanAfeganistãobombardeio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.