Ministro próximo de Berlusconi sobrevive a voto de desconfiança

Um dos ministros mais leais a Silvio Berlusconi sobreviveu a um voto de desconfiança no Parlamento na quarta-feira, dando um impulso ao primeiro-ministro italiano envolvido num escândalo sexual.

REUTERS

26 de janeiro de 2011 | 17h47

O ministro da Cultura, Sandro Bondi, foi pressionado a renunciar devido ao estado precário do parque arqueológico de Pompeia, mas mesmo se fosse forçado a sair, a estabilidade do governo não teria sido afetada.

Sua saída teria sido, no entanto, um golpe simbólico ao governo, enquanto luta para lidar com o escândalo sexual que envolve o primeiro-ministro de 74 anos.

Berlusconi tem estado sob pressão desde que uma divisão no partido governista Povo da Liberdade no ano passado custou-lhe uma maioria segura no Parlamento e seu governo conseguiu por pouco passar por um voto de desconfiança em dezembro.

A moção de quarta-feira foi derrotada por 314 a 292 votos, com duas abstenções, sublinhando a dificuldade que a oposição dividida teve em reunir os números para tirar proveito dos problemas do governo.

Berlusconi é acusado de pagar para prostitutas menores de idade e de abuso de poder ao pressionar a polícia a liberar uma jovem dançarina da prisão. Ele nega todas as acusações e diz ser vítima de uma campanha de magistrados de esquerda.

(Reportagem de James Mackenzie)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAMINISTROSOBREVIVE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.