Ministros britânicos admitem ter fumado maconha

Membros do gabinete disseram ter usado a droga em meio a polêmica sobre reclassificação da cannabis

Reuters,

19 Julho 2007 | 13h01

Cinco membros do alto escalão do gabinete de ministros britânico, incluindo o ministro das Finanças e a secretária de Interior, admitiram nesta quinta-feira, 19, terem fumado maconha durante a juventude.   O mais alto ministro a confessar o uso da droga foi novo ministro das Finanças, Alistair Darling, que disse ter fumado a erva "ocasionalmente durante minha juventude".   A revelação foi feita depois que a secretária de Interior, Jacqui Smith, admitiu ter feito uso do entorpecente na juventude, depois que o governo anunciou que iria rever a classificação da maconha como droga de categoria B. Durante o governo de Tony Blair, a canabbis havia sido rebaixada para a classe C, sendo considerada de menor periculosidade.   Após as confissões de Darling e Smith, dois outros ministros britânico também admitiram ter consumido maconha quando eram estudantes.   As confissões ocorrem um dia depois de o primeiro-ministro, Gordon Brown, ter anunciado que a punição por uso de maconha poderá ficar mais rígida.   "De vez em quando, em minha juventude", disse Darling à Reuters quando questionado sobre se havia fumado maconha.   Smith afirmou à Sky News que "fumei maconha poucas vezes (na universidade), acho que foi errado". Ela acrescentou que não usou outras drogas.   O premiê afirmou em diversas ocasiões que nunca consumiu drogas ilegais.   Quanto à declaração dos ministros, o porta-voz de Brown disse que se trata de um assunto pessoal e que o premiê não tem queixas sobre a forma como eles responderam à pergunta.   Na quarta-feira, Brown declarou que Smith supervisionaria uma revisão sobre se fumo e posse de maconha deveriam se tornar uma ofensa mais grave.

Mais conteúdo sobre:
mundo Reino Unido maconha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.