Ministros britânicos pagaram assessores com verba pública

Diário inglês revela que funcionários comprar câmeras digitais e I-Phones com dinheiro do contribuinte

EFE

25 de maio de 2009 | 10h32

Nove ministros do governo britânico pagaram seus assessores fiscais com dinheiro público, segundo publicou nesta segunda-feira, 25, o diário The Daily Telegraph. Entre os ministros que receberam a verba estão Alistair Darling, da pasta do Tesouro, David Miliband, de Relações Exterior, e Jacqui Smith, do Interior. O dinheiro pago aos assessores são destinados para cobrir os gastos dos gabinetes, o que equivale à verba indenizatória no Brasil.

 

Veja também:

lista Entenda o escândalo de gastos dos parlamentares

link'Vocês têm inveja', diz britânico envolvido no caso das verbas

 

Há cerca de duas semanas que o jornal britânico começou a investigar os abusos com dinheiro público por parte dos parlamentares em Londres. Anteriormente, o Daily Telegraph revelou que a verba estava sendo utilizada para reformas nas casas dos políticos a fim de valorizar suas residências.

 

Dessa vez, o diário revela mais detalhes sobre o caso, que envolve compra de câmeras digitais ou, no caso da ministra do Interior, um I-Phone para seu assessor, que no caso é o seu marido. De acordo com um levantamento feito pelo jornal, o contribuinte britânico pagou mais de 11 mil libras (cerca de R$ 35 mil) com os assessores dos ministros.

 

O ministro do Tesouro afirmou que contratou o assessor para assegurar que pagava "a quantidade exata correspondente aos gastos de seu gabinete". No domingo, 24, o ministro declarou à BBC que os deputados tinham que assumir a responsabilidade de não ter reformulado o sistema de gastos do Parlamento quando tiveram a oportunidade.

 

"Não há dúvida que as regras da Câmara dos Comuns (o Parlamento britânico) escaparam ao controle e, sinceramente, todos nós, inclusive eu, somos responsáveis em parte", disse Darling. Em dois anos, o ministro reivindicou mais de 1.400 libras por gastos de gabinete.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.