Míssil teria caído de caça russo atacado na Geórgia

Fontes afirmam que piloto pode ter se livrado do armamento ao ser alvejado em província separatista georgiana

REUTERS

08 de agosto de 2007 | 10h36

O míssil russo que atingiu a Geórgia nesta semana caiu de um caça, em vez de ser disparado, disse à Reuters na quarta-feira uma fonte próxima à investigação georgiana do incidente. O piloto se livrou do míssil ao ser alvejado por forças separatistas da Ossétia do Sul, que têm apoio russo em sua campanha contra a Geórgia.   Veja também:  Para a Geórgia, míssil pode estar ligado à sucessão de Putin   "Temos os primeiros resultados da investigação, segundo a qual forças ossétias dispararam um Strela [míssil antiaéreo portátil] contra o caça que havia voado da Rússia para a Geórgia", disse a autoridade georgiana, sob anonimato.   "O piloto do caça decidiu se livrar do míssil teleguiado que tinha a bordo. Ele não disparou, apenas o soltou. Isso explica por que o míssil não explodiu."   O ministério russo da Defesa rejeitou essa versão, alegando que não havia aviões do país na área. O governo separatista da Ossétia do Sul também considerou "absurda" a explicação do funcionário georgiano.   O míssil caiu sem explodir em uma lavoura cerca de 65 quilômetros a oeste de Tbilisi, a capital da Geórgia. A Rússia negou responsabilidade no caso, mas o incidente complicou ainda mais as já tensas relações bilaterais.   Em Bruxelas, a União Européia pediu os dois países que demonstrem cooperação e moderação. Rússia e Geórgia vivem vários atritos desde 2004, quando Mikhail Saakashvili foi eleito presidente da pequena ex-república soviética e adotou uma política de retirar o país da órbita russa.

Tudo o que sabemos sobre:
MUNDOGEORGIARUSSIAMISSIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.