Monti ataca Berlusconi a duas semanas das eleições italianas

O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, que está deixando o cargo, acusou neste domingo o empresário e político rival Silvio Berlusconi de tentar comprar votos com promessas impossíveis, a duas semanas das eleições.

Reuters

11 de fevereiro de 2013 | 20h18

As pesquisas indicam que o Partido Democrático, de centro-esquerda, vai conquistar uma boa maioria na Câmara dos Deputados, mas deve precisa dos centristas liderados por Monti para ter o controle do Senado necessário para governar.

O líder da centro-esquerda, Pier Luigi Bersani, e Monti têm concentrado os seus ataques no ex-premiê Berlusconi. A campanha de Berlusconi tem reduzido a antes grande vantagem de Bersani nas pesquisas.

Berlusconi "continua a fazer promessas que tentam comprar os votos dos italianos com dinheiro que pertence aos italianos", disse Monti num comício em Milão, em referência a propostas de cortes de impostos.

"Isso pode aumentar a popularidade, mas seria prova de uma falta de memória do país", declarou Monti.

(Reportagem de James Mackenzie)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAELEICOESMONTI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.