Monti pede desculpas a Berlusconi por comentário sobre dívida

O primeiro-ministro da Itália, Mario Monti, pediu desculpas nesta terça-feira por ter dito que os juros da dívida italiana estariam ainda mais elevados caso o cargo ainda fosse ocupado por seu antecessor, Silvio Berlusconi.

Reuters

07 de agosto de 2012 | 17h51

Monti disse numa entrevista ao Wall Street Journal que o "spread" entre os dividendos dos títulos italianos e alemães, que balizam o mercado, seria de "1.200 pontos" caso o bilionário Berlusconi continuasse como premiê.

Nesta terça-feira, o "spread" estava em 440 pontos, um valor elevado, apesar dos esforços do seu governo para realizar reformas.

Partidários de Berlusconi imediatamente saíram em defesa do polêmico político. O líder do partido dele na Câmara dos Deputados, Fabrizio Cicchitto, disse que a declaração de Monti foi "uma provocação inútil e estúpida".

Monti, segundo nota divulgada por seu gabinete, telefonou para Berlusconi dizendo "lamentar que uma extrapolação banal e abstrata sobre uma tendência nos níveis do 'spread' ... possa ser interpretada como um julgamento político, o que de forma alguma foi a intenção."

(Reportagem de Steve Scherer)

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAMONTIDESCULPAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.