Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Morre policial da ONU ferido nos protestos em Kosovo

Oficial é a primeira vítima militar desde que começou a onda de violência após a independência da Sérvia

Agências internacionais,

18 de março de 2008 | 08h46

Um agente ucraniano da polícia das Nações Unidas morreu nesta terça-feira, 18, por conseqüência dos ferimentos provocados durante os enfrentamentos na cidade kosovar de Mitrovica entre manifestantes sérvios e soldados das forças de segurança internacionais no país. Segundo o El País, este é o primeiro oficial que morre desde que o governo de Kosovo declarou a independência do território - que tem maioria albanesa - da Sérvia, no dia 17 de fevereiro.   Veja também: A disputa dos Bálcãs   Violentos confrontos entre servo-kosovares e policiais da ONU no enclave sérvio de Mitrovica, no norte de Kosovo, levaram a organização a anunciar sua retirada temporária da cidade. Cerca de 70 manifestantes e 63 membros das forças de paz ficaram feridos. Segundo Veton Elsani, porta-voz da polícia, um policial ucraniano morreu na noite de segunda-feira. A informação foi confirmada pelo Ministério ucraniano do Interior. A vítima pertencia à Polícia da Missão das Nações Unidas no Kosovo (Unmik), que interveio na desocupação de um tribunal tomado por manifestantes sérvios.   Os confrontos começaram de madrugada, quando policiais da ONU entraram num tribunal da organização que havia sido invadido na sexta-feira por cerca de 300 manifestantes servo-kosovares - a maioria seria de ex-funcionários do tribunal que perderam seus empregos em 1999, após o fim da guerra em Kosovo. Durante o fim de semana, a organização havia tentado negociar por várias vezes a saída dos manifestantes. Diante da resistência do grupo, a ONU decidiu retirá-los à força. Tropas da Otan deram apoio à operação da ONU.   Ao entrarem no prédio, os policiais da ONU prenderam 53 pessoas. Os demais manifestantes bloquearam a saída dos veículos da organização e atiraram granadas, pedras e coquetéis molotov. Vários carros da entidade foram queimados. Os manifestantes conseguiram libertar pelo menos dez pessoas que haviam sido detidas. Sem conseguir controlar o protesto, os policiais da ONU saíram do local, deixando o comando da operação para as tropas da Otan.   A separação da província sérvia foi reconhecida pelas principais potências mundiais, como EUA, Reino Unido, França e Alemanha. A Sérvia e a Rússia, no entanto, condenaram a independência. Os sérvios consideram Kosovo como berço de sua história e cultura.

Tudo o que sabemos sobre:
KosovoSérviaONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.